Planejamento tributário de empresa no Nordeste: 6 dicas ideais

No meio empresarial não há como negar: sucesso sem planejamento é apenas fruto do acaso com a sorte. Ou seja, não se pode deixar os planos de lado e contar com essa relação, pois estamos falando de conquistas financeiras e, consequentemente, profissionais. É necessário frisar a importância de contar com parâmetros claros e objetivos na busca pelas metas e resultados dentro de qualquer empresa.

Pensando nisso, hoje, falaremos sobre a importância da antecipação, mais especificamente dos planos financeiros de um negócio, explicando tudo o que você precisa saber sobre o planejamento tributário de empresa no Nordeste. Boa leitura!

Conceito e importância do planejamento tributário

Contabilizar, estimar e planejar. No fim das contas, todo planejamento é um método de antecipação, em que se busca visualizar os eventos futuros, elaborando estratégias que minimizem os impactos negativos, protegendo a operação e aumentando o faturamento.

Na gestão tributária, o planejamento costuma acontecer sempre que se está prestes a entrar em um novo exercício fiscal, ou seja, com a transição para um novo ano. Assim, a equipe responsável pelo setor se reúne para analisar os livros da empresa, estimar os resultados futuros e, então, simular e decidir por um novo regime, caso necessário. Os principais pilares do planejamento são:

  • redução de custos: a otimização financeira é um objetivo que todas as empresas querem atingir. É nesse sentido que o planejamento se mostra como uma solução viável, pois com ele você consegue reduzir significativamente os custos tributários das operações;
  • eliminação de riscos: em um segundo momento, temos o fator da segurança fiscal. Pois pagar menos impostos é um desejo quase universal, tanto para quem empreende quanto para quem consome. No entanto, é muito importante que esse desejo seja atendido dentro dos meios legais e tributariamente aceitos.

Ou seja, a solução para gastar menos com títulos tributários nunca será a sonegação, pois além de antiético essa atitude prejudica a empresa e capacidade dela de continuar crescendo no mercado. Legalmente, a elisão fiscal é o uso estratégico de um regime tributário, considerando as especificidades da sua operação e faturamento, sem cometer nenhuma ilegalidade durante o processo.

6 dicas para elaborar o planejamento tributário de empresa no Nordeste

Reunimos algumas dicas que, em nossa visão, contribuem diretamente para a qualidade do seu planejamento, entregando confiabilidade, organização e referência. Confira!

1. Estude a legislação tributária local

Dependendo da atividade da empresa é possível que você tenha prestado serviços à diferentes estados brasileiros. Com uma legislação tributária bastante ampla, fica mais fácil se beneficiar de alguns detalhes isolados ao analisar brechas e verificar tolerâncias descritas na lei.

Obviamente, para que isso seja feito de maneira regular, é fundamental contar com a assistência de um especialista da área, que tenha experiência e familiaridade com o código contábil e as diferentes oportunidades para o seu ramo.

2. Verifique a existência de incentivos fiscais

Como provavelmente você já sabe, os incentivos fiscais são estímulos do Governo para que a sua empresa tenha um melhor desempenho no mercado. Mais uma vez, é importante a figura do especialista, pois não são todos os incentivos que são adequados ou vantajosos para a sua atividade.

Entre as modalidades, também é importante analisar o enquadramento da sua empresa, seja por estar em uma região beneficiada pelo seu estado, seja por operar em um setor estratégico para o Governo.

3. Simule, compare e identifique o melhor regime tributário

Todas as informações e possibilidades devem ser compiladas para simular diferentes cenários. As análises costumam ser bem diversificadas, já que até fatores, aparentemente mínimos, como contratações, podem interferir nos seus resultados.

O exemplo mais clássico disso é o Fator R, um recurso que, a depender da porcentagem do seu faturamento, que é ocupada pela folha salarial, altera o seu Anexo (V para o III) no Simples Nacional, causando uma redução significativa na quantidade de impostos pagos.

Além disso, também é importante frisar como essas transições de regime costumam ser burocráticas, técnicas e delicadas. Por conta disso, é muito importante que todos os colaboradores da equipe de planejamento estejam dedicando total atenção ao projeto, simulando todas as possibilidades antes de tomarem uma decisão final.

4. Invista em tecnologia aplicada

Já em um segundo instante, você deve considerar as ferramentas empregues na execução do planejamento, tal como a utilização de plataformas contábeis, dedicadas ao acompanhamento dos detalhes da sua operação.

Para tanto, é interessante adotar softwares e interfaces de gestão fiscal capazes de centralizar as informações mais importantes em um único painel. No fim das contas, esse é o tipo de abordagem que facilita a sua interpretação dos dados, aprimorando o seu processo de decisão.

5. Acompanhe esses parâmetros periodicamente

Como percebemos, apenas elaborar um bom planejamento nunca será suficiente para garantir o sucesso operacional da sua empresa. Até porque devemos lembrar que as leis tributárias estão sob constante mudança, assim como as expectativas sobre o seu negócio.

Por esse motivo, é fundamental dedicar tempo e atenção à revisão do planejamento tributário, identificando novas oportunidades e necessidades conforme elas se apresentam — e para que isso aconteça, chegamos à sexta e mais importante dica!

6. Contrate um escritório contábil especializado

Um dos erros mais recorrentes no empreendedorismo é tentar centralizar todas as funções em você. Em nossa visão, é fundamental que você tenha tempo para se dedicar ao core business da sua atividade, delegando preocupações tributárias e burocráticas aos profissionais que são especialistas no tema.

Esse é o caso da contabilidade. Afinal de contas, a contratação de um escritório com reputação positiva é a única forma de garantir um planejamento tributário inteligente, que acompanha as atualizações no cenário político, econômico e legislativo, minimizando a sua carga tributária em todas as situações possíveis.

Principais erros e como evitá-los

O primeiro equívoco mais comum é a gestão negligente, em que o empreendedor mistura suas despesas pessoais com as contas da empresa. O que vai, além de dificultar as análises do planejamento, contaminar a confiabilidade dos relatórios e resultados. Para evitar isso, basta separar as duas esferas, nunca utilizando os recursos, contas e cartões da empresa para gastos particulares.

Por fim, frisamos o exposto na sexta dica. O segundo e, frequentemente, maior erro é não contar com uma equipe especializada para a realização do planejamento. Pois quanto mais a sua empresa cresce, maior o nível de competição e profissionalismo enfrentado no mercado.

Para garantir a sua alavancagem é fundamental contar com profissionais experientes, além de cortar as fontes de desperdício. Por isso, o Rosa Neto Tributos pode ser a solução para esse dilema. Afinal, dispomos de uma grande equipe de especialistas pronta para simplificar a sua jornada com estratégia, inteligência e legalidade.

Portanto, se você está interessado em garantir o melhor planejamento tributário de empresa no Nordeste, não perca tempo e entre em contato com o nosso time!

Assine aqui e fique por dentro das novidades!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.