Home pensando sobre seu agronegócio pós covid

Agronegócio pós-Covid: o que podemos esperar para o futuro?

Conforme o cenário evoluiu para uma situação de estabilidade da crise de saúde gerada pelo novo coronavírus, os diversos setores econômicos já começam a pensar quais medidas adotar para enfrentar as consequências da pandemia. O agronegócio pós-Covid-19 é um dos setores que já começam a se movimentar nesse sentido, acelerando a implantação de medidas que já estavam sendo tomadas em prol da sua competitividade.

O objetivo deste artigo é abordar os impactos gerados pela crise da Covid-19 no setor do agronegócio e o que podemos esperar para o futuro. Aqui, você vai entender também quais são as ações necessárias para superar este cenário e se manter competitivo no mercado internacional. Acompanhe!

Quais os impactos do novo coronavírus no agronegócio?

Ainda que o agronegócio seja o ramo econômico menos afetado pela pandemia, é certo que ele ainda deverá superar muitos desafios até conseguir retornar à sua plena atividade anterior à crise. Segundo os dados divulgados pelo Banco Mundial, a retração projetada para o Produto Interno Bruto (PIB) mundial neste ano é de 5,2%. No Brasil, segundo a mesma entidade a expectativa é de que a recessão pode chegar a 8%.

Grandes compradores mundiais da produção nacional também sofreram com a crise. A China, que é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009 e a segunda maior economia do mundo —  com um PIB na ordem dos R$ 12 trilhões — , foi uma das grandes afetadas pela pandemia. Com isso, reduziu drasticamente a sua atividade produtiva e, consequentemente, o seu poder de compra de insumos mundiais.

Mesmo que o agronegócio tenha se mantido em crescimento, esses dados são preocupantes. Afinal, ainda será necessário lidar com uma redução generalizada da demanda, uma vez que os produtos agrícolas também servem como material base para os demais processos produtivos. 

Sendo assim, o nível de consumo deve afetar o nível de produção, o que, por sua vez, influencia na demanda por insumos agrícolas, exigindo adaptação de toda a cadeia produtiva à nova realidade de mercado.

Porém, de maneira geral, o agronegócio ainda permaneceu firme e em pleno crescimento. Informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) relacionadas ao mês de março revelam que as exportações tiveram uma expansão de 13% em relação ao mesmo período do ano passado — foram 9,29 bilhões de dólares contra 8,2 bilhões do ano anterior.

Como se adaptar à nova realidade de mercado?

A nova realidade imposta pela situação de pandemia revela uma necessidade cada vez mais urgente de adaptação ao mercado. Para continuar crescendo e superar os impactos da crise, o setor precisa contar com a modernização intensiva de toda a sua cadeia produtiva. 

Como citamos, os efeitos da crise no poder de compra da população no longo prazo podem gerar a baixa de preços de determinados produtos, sendo necessário um acompanhamento próximo das principais tendências de mercado, tanto interno como externo, para o desenvolvimento de estratégias de enfrentamento e adaptação.

Sendo assim, é necessário investir na implementação de técnicas de manejo capazes de aumentar a produtividade e reduzir os custos de produção, seja por meio da otimização logística, melhoria do monitoramento do ciclo de vida dos produtos, otimização do uso dos dados ou utilização de plataformas remotas para o controle produtivo.

Todas essas ferramentas são aliadas fundamentais para reduzir as incertezas do cenário do agronegócio pós-Covid. O uso de recursos para coleta e análise de dados também é um fator essencial, pois é capaz de proporcionar uma tomada de decisões mais assertiva e racional. 

E então, o que achou do artigo? Já consegue visualizar como será o agronegócio pós-Covid? Curta a nossa página no Facebook para continuar a receber conteúdos relevantes para o sucesso do seu negócio!

Assine aqui e fique por dentro das novidades!

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

1 Comentário

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.